Eu estou terminando um relacionamento.
Um relacionamento de 12 meses, tempo suficiente pra estar na zona de conforto e querer que tudo continue do mesmo jeito, mesmo sabendo que não dá.
Você também está enfrentando este término, né?

Cada pessoa lida com os términos de maneira diferente.
Alguns brigam, apontam todos os defeitos e fazem crer que a culpa é do outro.
Outros ficam tristes, choram, imaginam que não vão sobreviver.
Outros ficam alegres e estimulados pelas novas possibilidades.
Alguns aceitam o que tem que terminar, agradecem pelo que passou e abraçam o que está por vir.

Como é que você está lidando com o término deste ano?
No geral, 2016 não foi um ano fácil. Tenho visto muita gente se despedir com mágoas e raiva, dizendo que o ano demorou para acabar, que muita coisa ruim aconteceu.
Um outro grupo está focando no futuro, fazendo planos para 2017, que vai ser o melhor ano de todos.

Esta é a semana da retrospectiva, quase todo mundo avalia o que aconteceu e decide qual imagem de 2016 vai guardar na lembrança. É a hora perfeita para encontrar maneiras que façam com que este término seja mais leve e positivo.

Ninguém vai simplesmente apagar a crise política e financeira que afetou a todos este ano, as guerras que estão comprometendo a esperança na humanidade, os acidentes trágicos que assustaram, as pessoas que se foram.

Mas será que existe um jeito de fazer com que 2016 não pareça tão negativo?
Será que não é possível lembrar também do que a gente conquistou este ano?

Quando eu me lembrar de 2016, vou pensar que eu tive coragem e pedi demissão do meu emprego no mundo corporativo para focar toda a minha energia na nova carreira que eu escolhi. Vou me lembrar de todos os cursos que eu fiz e do quanto eu aprendi. Vou agradecer por todos os amigos novos que fiz, tanto no mundo real quanto no virtual e por todos os amigos antigos que mantive. Vou contar do projeto novo de voluntariado, em que iniciei um grupo de coaching com jovens cegos e com baixa visão, que me ensinaram a ver o mundo de uma maneira muito diferente.
Claro que vou lembrar de coisas ruins que aconteceram, mas vou tentar pensar no que aprendi com cada uma delas. Não vai ser fácil, nós temos a tendência de focar no negativo antes de pensar no positivo. Isso é um mecanismo de proteção do nosso cérebro reptiliano, aquele dos nossos ancestrais, que precisavam caçar e correr dos perigos para garantir a sobrevivência da humanidade. Até hoje o ser humano ainda baseia muitas das suas decisões e pensamentos nesses mecanismos de defesa, que nem são mais necessários. Mas como a gente já sabe que não precisa lutar ou fugir para se manter vivo o tempo todo, podemos tentar controlar essas tendências para agir de outra maneira.

Uma das formas de mostrar para o nosso cérebro que podemos focar nos acontecimentos positivos é exercitar o hábito da gratidão. E essa é uma dica que eu gostaria que você colocasse em prática ainda antes do ano terminar (ainda dá tempo, fica tranquilo!).
Faça uma lista das coisas que aconteceram esse ano e pelas quais você é grato. Pode colocar apenas os tópicos principais, ou pode elaborar e explicar porque você é grato àquele fato (essa segunda maneira é ainda melhor).
Se estiver difícil encontrar os fatos, comece agradecendo pela sua família, pela sua casa, pela comida, pela internet (se você está lendo este texto, pode agradecer a ela!).

Tente encontrar momentos específicos para agradecer, como o encontro com uma pessoa querida, algum lugar para onde você viajou, uma coisa que você queria muito e conseguiu comprar, um projeto que você está concretizando.

E não precisam ser coisas “grandiosas”, podem ser pequenas felicidades que aconteceram, como um nascer do sol lindo que você viu quando teve que acordar mais cedo que o usual, por exemplo. Pode colocar os desafios que enfrentou também, anotando porque eles foram importantes e como você pode agir diferente se eles acontecerem novamente no futuro.
Garanto que a lista começa com poucos itens e depois você vai ter dificuldade de parar de escrever! Eu escrevi 10 páginas no meu caderno de gratidão hoje (sim, dez!). Peguei a minha agenda e fui relembrando os acontecimentos em ordem cronológica, conforme eles aconteceram durante o ano. Se eu não fizesse assim acho que não lembraria de tanta coisa! E acabei nem escrevendo tudo, mas pensei em muito mais coisas que agradeço este ano.
Que tal você tentar?